domingo, 13 de agosto de 2017

Liga Ledman 17/18: 2ª Jornada

O equilíbrio esperado aí está. Apenas um equipa pontuou e apenas duas conseguiram o pleno.
Nesta jornada, muitas equipas, a jogar pela primeira vez em casa, conseguiram os primeiros pontos.

 



- Fernando Ferreira
O jogador de 1ª Liga, dispensado pelo Tondela, é juntamente com Barry, João Pica e Peçanha, um dos grandes reforços do Ac. Viseu 17/18 (reparem que é um por posição) e que torna esta equipa uma das grandes candidatas à subida. Frente ao Sporting B, a equipa de Chaló conseguiu a primeira vitória, embora tenha criado menos oportunidades.

- Ricardo Barros
No Mar, fortaleza do Leixões, o resultado esperado. O grande reforço Ricardo Barros bisou e colocou o Leixões na senda das vitórias.

- Santa Clara
Fez o pleno.

- Alan Junior
Figura do Benfica ao bisar nesta jornada

 



- Jogos com 39º
Em Alcochete, jogou-se no pico do calor com 39 graus. Isso faz algum sentido?

- Sp. Covilhã
O plantel curto e as saídas dos jogadores mais talentosos não ajuda. O Covilhã é a única equipa que ainda não pontuou.

Francisco Chaló
(Ac. Viseu)


domingo, 6 de agosto de 2017

Sporting entra a ganhar

O Sporting entrou da forma mais desejada no campeonato: a ganhar.

A vitória foi mais fácil do que se previa. Gelson Martins foi o maestro com dois golos. A nível defensivo, o Sporting não sofreu golos o que é um bom começo. Destaco também a exibição bem sucedida de Acuña que no início da 2ª parte fez um grande remate.

O D. Aves prometeu muito na conferência de imprensa, mas as palavras de Ricardo Soares não se materializaram dentro das 4 linhas. Falta entrosamento porque há talento e este Aves tem tudo para fazer um campeonato tranquilo. Porém, continuo sem entender a insistência em Adriano Fachini na baliza, deixando Quim no banco. Quantos golos já sofreu?

Nota para a enchente no estádio e organização profissional do mesmo. Bem diferente da última vez que o Aves subiu.

2ª Liga 17/18: 1ª Jornada

Sem patrocinador, arrancou a 2ª Liga 17/18. Um campeonato que nos habituou a projetar estrelas como Nelson Semedo, Gelson Martins, Bernardo Silva ou André Silva.
Desta 1ª jornada destacamos:

- Arranque poderoso do Real
Primeiro eliminou o Belenenses, agora goleou o muito reforçado Leixões por 4-1. O plantel parece limitado e temos dúvidas se o entusiasmo será só inicial, mas Carlos Vinicius está com o pé quente.

- Gil Vicente assume-se
3 jogos, 3 vitórias. O Gil Vicente, também muito reforçado, só conta com vitórias.

- Varzim também goleia
Com prata da casa, o Varzim goleou o V. Guimarães B, vigando a derrota da pré época.

- Cova da Piedade e U. Madeira tem plantel curto
Os planteis precisam de ser completos.

Benfica ganha a Supertaça 17/18

O Benfica venceu o V. Guimarães por 3-1, fruto do aproveito de três erros clamorosos do adversário.
Jonas, Sefeovic, Jimenez e Raphinha marcaram, aproveitando da melhor forma os erros cometidos.

Eis os destaques do Desportubol:

- Muitos erros no Vitória
Dissemos na antevisão que as hipóteses do Vitória passavam pelo aproveitamento da desconstrução da defesa benfiquista, mas o que aconteceu foi o contrário. Cada tiro cada melro.

- Pizzi - o melhor
Não marcou mas esteve em dois golos, sendo o rei das assistências. Foi o jogador mais esclarecido em campo.

- Seferovic - o reforço
Dos jogaodres contratados pelo Benfica, apenas o suíço teve honras de titular e já marcou um golo.

- Bruno Varela passou o exame, mas comprometeu
Falhou no golo do V. Guimarães ao deixar passar a bola pelo meio das mãos, mas fez um conjunto de boas defesas. Pode ser o plano B do Benfica.

- Hélder Ferreira, a surpresa
Boa surpresa o jovem da equipa B. Assistiu Raphinha no golo do Vitória e foi dos mais esclarecidos.

- Hurtado, a desilusão
Muitos falhanços que poderiam ter resultado em golo.

- Raphinha
Marcou o golo da sua equipa e tentou fazer a diferença.

Nota para o repórter agredido da CMTV. Ontem nem uma palavra no site. Hoje nem uma referência na capa do jornal. Se fosse agredido por adeptos de outro clube que não o Benfica, teria havido o mesmo silêncio? Penso que este jornalista já deve estar arrependido de ter deixado a TVI. Saiu de lá para ser promovido a coordenador, mas em pouco tempo já levou uma tareia por ter o microfone vermelho na mão ...

sábado, 5 de agosto de 2017

Segunda Liga 17/18: sem patrocinador e sem Vítor Oliveira

A Segunda Liga também começa este fim de semana, mas com os jogos todos concentrados no domingo.

Eis as primeiras impressões:
- Sem patrocinador
Não tem naming rights ainda atribuídos...

 - Sem Vítor Oliveira
Ou seja, o exercício de analisar quem são os favoritos à subida torna-se mais complexo

- Só com treinadores portugueses
Apesar das mais diversas nacionalidades dos "investidores" presentes, a aposta é pelo seguro no treinador português. Veremos até quando...

- Sem equipas algarvias
Já há algum tempo que o Algarve estava tão pouco representado nos campeonatos profissionais.

- Os treinadores das subidas além de José Mota e Vítor Oliveira
 Jorge Costa (Arouca), Ivo Vieira (Académica), António Conceição (Penafiel) e Paulo Alves (U. Madeira) já subiram e têm as expetativas em cima. O Leixões reforçou-se muito, havendo jogadores bons e outros desconhecidos. Não existe um candidato assumido.

- Pouca aposta na formação
Tirando as equipas B e a Oliveirense, os clubes apostam cada vez menos nas suas camadas jovens.

Liga NOS 17/18 arranca mais comercial e mais polémica

A 1ª jornada da Liga NOS arranca com jogos espalhados ao longo de quase uma semana. Acho que faz todo o sentido para o negócio, bilheteira, mediatismo e rentabilidade. Nesta altura, existem muitos emigrantes e pessoas de férias, com bom tempo à mistura, que permitem disponibilidade para asssitir jogos à semana e à noite.

Nesta edição da Liga, eis as primeiras impressões:
- Polémica
É programas televisivos para aqui, comentadores polémicos para ali, comunicados para além. Tudo soudbytes desnecessários.

- Benfica
Está fragilizado pelas três saídas da defesa - Ederson, Nelson Semedo e Lindelof - e pelo facto das 2ªs linhas não terem ainda correspondido. O Benfica entra na nova época sem ter o sector estabilizado, sendo que Luisão já não é opção de futuro e Bruno Varela é "a" possível solução para a baliza. Este é o grande calcanhar de Aquiles. Já na frente de ataque, o Benfica continua forte.

- FC Porto
Sem contratações, mas com reforços. Os reforços são os jogadores que saíram para "rodar" e que regressam mais fortes ao clube como aliás deveria sempre ocorrer. A diferença poderá ser o treinador e os regressos do regenerado Aboubakar e do mais experiente Ricardo e Hernâni. O FC Porto está mais forte e mais unido.

- Sporting
Muitas mexidas na defesa na tentativa de fazer melhor que no passado (também não é difícil superar Rúben Semedo). A margem estreita para um clube que não é campeão à longos anos. Não perdeu pedras fundamentais e os reforços foram cirúrgicos. A razia de títulos é tão grande que as expectativas não são grandes.

- V. Guimarães e Sp. Braga
Só um deverá ir à Liga Europa pelo campeonato. Vai ser uma luta interessante e equilibrada como sempre. O Braga reforçou-se com jogadores experientes do campeonato, enquanto o Guimarães apenas perdeu Marega e Hernâni mas contratou Esturpiãn.

Quanto ao resto, Rio Ave e Chaves deverão fazer um campeonato tranquilo. O Aves poderá surpreender. O resto deverá lutar para não descer...

domingo, 30 de julho de 2017

O acordar do desporto no feminino - Julho de 2017

No ano de 2017 acordamos para o desporto no feminino.
Num país totalmente virado para o futebol, em particular os três grandes e a seleção (masculina), neste ano acordamos para um outro lado do desporto: o feminino.


Comecemos pelo futebol. Finalmente houve uma direção na FPF que olhou para o futebol feminino. Por e simplesmente "olhou". Até aqui ignorou.
Escolheu uma pessoa da modalidade para dar a cara e definir um projeto: Mónica Jorge. Sporting e Sp. Braga iniciaram e apostaram na modalidade, conjugada com um apuramento histórico para o Europeu da categoria. Por outro lado, nos media, houve a transmissão de jogos em canal aberto e muito marketing. Algo que era estritamente necessário para alavancar a modalidade. Porém, quando FC Porto, Benfica e V. Guimarães acordarem para a modalidade acredito que será ainda mais benéfico.
O futebol feminino em 2017 ganhou melhores condições de treino e de desenvolvimento, mais praticantes, mais competição, mais competitividade, mais protagonistas e mais competência.
Algo que se refletiu na prestação desportiva e mediática da Seleção nacional.

No voleibol, existem muitas equipas a Norte, mas essa fragmentação e amadorismo reflete-se na incapacidade da seleção chegar a algum lado. Porém, é  uma  modalidade, onde existem muitas jovens a praticar desporto, cumprindo-se o objetivo-mor da prática desportiva no crescimento.

O futsal é uma das modalidades onde já havia algum desenvolvimento, essencialmente  pela presença de Benfica e Sporting. Estes clubes já haviam despertado, mas ainda há muito para projetar e crescer.

Olhando para as restantes modalidades, é uma dor de alma. A presença feminina é praticamente insignificante.

Nesta análise, acho que o contributo dos chamados três clubes grandes é fundamental para o desenvolvimento da modalidade. Se o Sporting aposta no futebol, futsal e rugby feminino, o Benfica aposta no futsal e hoquei em patins e o FC Porto não aposta em nada.  São estes os clubes com mais adeptos, que cativam os melhores treinadores, as melhoras jogadoras e melhores condições financeiras e de infraestruturas.

Ainda há muito a melhorar, mas o ano de 2017 marca uma viragem de um nível tão baixo, tão baixo, tão baixo do desporto feminino que qualquer saltinho já é digno de registar.

O modelo competitivo das Taças

Manuel Machado criticou o modelo competitivo das Taças que favorecem os grandes.

A questão que Manuel Machado não disse é que em quem traz patrocínios, gera audiências televisivas e suscita interesse mediático são os grandes e não os outros. Gostava que no final da partida, Manuel Machado comparasse a assistência do seu jogo com o D. Aves com a do Benfica, FC Porto e Sporting da época passada, e percebesse porque razão os 3 grandes têm de estar presentes.

domingo, 23 de julho de 2017

Impressões da pré época 17/18

Esta pré época tem a singularidade de o FC Porto não ter apresentado nenhum reforço digno desse nome, mas também não ter vendido nenhum indiscutível.
Apenas vendeu Rúben Neves (2ª opção) e André Silva (em queda na 2ª volta), que foi substituído por Aboubakar. Ora, o FC Porto saiu mais forte nesta troca. Não nos podemos esquecer do fim de empréstimo de Diogo Jota, mas regressou Hernâni, bem como o revigorado Ricardo Pereira. Com tantos bons ativos emprestados, não fazia sentido, em altura de aperto, o FC Porto ir ao mercado gastar milhões de euros.
No entanto, é questionável a contratação de Vana, que evoluiu muito ao longo da época, mas havia outras e mais válidas opções internas para a baliza (José Sá, João Costa, etc).

Do lado do Benfica, parece estar a acontecer o mesmo que aconteceu ao FC Porto: a venda dos melhores ativos sem reposição. A defesa está um caco, pois saíram Ederson, Nelson Semedo e Lindelof. Todos bem vendidos, mas são demasiadas perdas no mesmo setor e com muitas necessidades de adaptação. Na baliza, ainda não há alternativa ao "velho" Júlio César. No centro da defesa, Kalaica ainda precisa de tempo e na direita há André Almeida. Nos outros setores, tudo estável.

No Sporting, continua a guerra intestina que impediu e vai continuar a impedir o sucesso, porque não se melhora. Agora é entre o presidente palrador e Otávio Machado. Tanto ego, que impede o clube de pensar mais além. Os reforços são cirúrgicos e ainda não houve saídas de peso. Porém, não vejo o Sporting mais forte que a concorrência.

De resto, mais do mesmo, mas as equipas parecem-me mais fracas. O V. Guimarães perdeu Marega e Hernâni, mas estou curioso para ver Estupiñan. O Sp. Braga voltou-se para a formação, mas com os melhores do Marítimo na época passada e sem empréstimos dos grandes. Já o Marítimo parece-me estar mais atrás, pois perdeu os melhores para o Braga e foi contratar jogadores pouco experientes. O Rio Ave parece equilibrado. Quanto ao resto é lutar para não descer.